O Post Pessoal Que Prometi...

quinta-feira, setembro 29, 2016

Olá Mind's ...

Esse post é, de longe, o mais difícil de escrever, o que mais demorei, o que mais pensei a respeito, que analisei cada argumento para que eu pudesse ser o mais clara o possível, com medo de que acontecesse de novo o que houve da ultima vez que tentei desabafar aqui, de forma profunda: Uma imensa treta total e inteiramente indesejável da minha parte. 

Ainda dói...

Bom, como eu acho que não irei conseguir escrever tudo de uma vez só, pensei então em fazer isso em partes, que tal? Um pedaço de cada vez me parece ser mais fácil, porém, vou ter que me organizar para que vocês possam entender tudo sem problemas.
Okay, vou direto ao ponto logo aqui no começo para que aqueles que não entendem essas coisas já se retirem, por sua falta de compreensão e sua tamanha ignorância -d
Entre, mais ou menos, as férias do meio do ano de 2013 e quase até maio de 2014, eu tive, como posso dizer, um "declínio emocional" MUITO grande, tão grande ao ponto de, infelizmente, praticar o velho tabu da automutilação! Sim, pessoas, isso mesmo que vocês leram...

Esse declínio foi composto por um enorme bolo de emoções ruins, juntas com aquela fase de começo da nossa querida, amada e idolatrada adolescência @.@ Problemas em casa (isso não mudou); problemas na escola (hoje nem tanto); problemas comigo mesma, aceitação da própria imagem/físico, essas coisas (isso também não mudou); e para fechar com chave de ouro, aquilo que posso, com certeza, considerar como a gota que transbordou o meu copo, meu primeiro "amor" ser adolescente é um porre, n nasci para lidar com isso senhô geová Clichê, não é? Mas essas coisas, para mim, uma pessoa que se demostra fria e por dentro é pior que maria mole, foi um campo minado, onde eu pisava eu explodia algum sentimento ruim que me fazia piorar mais e mais (e faz até hoje).


Não sei dizer a data exata de quando comecei tudo, mais sei dizer como foi e o que eu senti.
Eu sentia raiva de tudo o que estava acontecendo, de não saber lidar com aquilo que estava sentindo, e por pura raiva de mim mesma eu comecei a me "bater", me arranhar, beliscar - isso depois de muitas e muitas noites em claro, chorando, pois isso acabou não me servindo mais como alivio, me deixava pior - mas, assim como o choro, com o passar das semanas, aquilo não era mais o suficiente. Eu tinha, de algum forma, que me punir (na minha cabeça eu era a culpada, e meu pensamento ainda é esse). Passei, então, a usar uma tesoura, daquelas pequeninas de sobrancelha, para arranhar com mais força (não cortava, mas ficava bem vermelho e inchado). 
Nesse ponto da história você deve estar se perguntando: "Mas ninguém percebeu? Ninguém via o seu braço todo vermelho e inchado? Sua mudança de comportamento? Nada?!?!?" - Ai eu te respondo: NÃO! E até hoje ninguém notou. Não porque eu sei esconder, é pelo fato de que ninguém liga mesmo... 

Na época eu era (bem mais que hoje) meio emo da vida, sabe? Aquele franjão jogado na cara. E para manter o cabelo eu precisava de gilete... Já deu para entender, não é? Em pouco tempo meu braço já estava todo marcado.
Havia dias em que eu estava tão mal que nem chorar eu conseguia. E naquelas semanas de calor eu lá, de blusa e manga longa, escondendo o motivo de maior vergonha para mim, as horríveis cicatrizes que até hoje permanecem aqui e eu continuo a esconde-las.
Eu poderia até postar uma foto para mostrar o quão elas são visíveis, mas isso eu não vou fazer, não quero deixar um clima pesado aqui no meu cantinho querido ♥

Eu parei lá no meio de 2014, não porque me ajudaram, ou porque melhorei. Eu continuo tão mal quanto naquela época, mas a diferença é que hoje sei esconder melhor, sei fingir melhor. Pois é como dizem, com o tempo a gente adquire experiência... E também já não estava dando conta de esconder e o braço já não tinha mais espaço, ou seja, se eu mudasse de braço ou para uma perna, ia ser ainda mais difícil disfarçar/ocultar.

E se eu contasse para alguém da família? Bom, eu venho de família dividida: Metade (por parte de pai) é católica, e a outra (por parte de mãe) é crente/evangélica daquele tipo ignorante - não pode isso, não pode aquilo, porque tudo é do capeta e você vai para o inferno se fizer isso.
Agora imagina se eu conto? A primeira coisa que minha progenitora faria é me dar um esporro gigantesco: "Você é cheia de frescura isso sim! Adolescente não tem depressão porr* nenhuma! Na sua idade eu morava no meio do mato, passava fome e não tinha o que vestir e aqui até hoje muito bem, sua ingrata Filha da ****" mais ou menos isso ai, o que me faria piorar. Então, com certeza, ela me levaria para uma igreja dizendo que tenho um demônio no corpo... Digo, ela não é a pior pessoa do mundo, mas não tenta se colocar no meu lugar. Ela acha que só ela pode sofrer por ter passado por tudo aquilo. Não me da carinho e atenção.
Isso me fez criar um sentimento de inveja dos outros adolescentes e crianças que tinham mães e pais legais e carinhosos...

E se eu contasse para um colega/amigo? Eu contei, e foi para duas pessoas: tenho amizade com as duas até hoje, elas são super compreensíveis comigo.
A primeira, apesar de ter ficado chateada comigo foi calma, e continuou ao meu lado, sempre me perguntando se eu estava bem (é com ela que fui assistir os filmes que fiz resenha aqui, ela é um amorzinhu ♥).
A segunda, meses depois (tenho quase certeza que por influência minha, o que me faz sentir um monstro) começou a fazer o mesmo, por problemas na família também - a irmã faleceu por diabetes, no dia das mães, e logo após a avó também se foi - nunca mais conversei sobre isso com ela por receio, e não tive mais contato pessoal pois depois do acontecido ela foi morar com o pai, no centro.


Desculpem-me por qualquer erro de ortografia, mas é isso.

Continua...

Talvez você também goste:

26 comentários

  1. Poxa... por uma lado fico feliz de partilhar isso por aqui , acredito que não seja fácil. Por outro imagino o que tenha passado. Eu nunca critiquei essa "automutilação" principalmente porque eu também já pensei nisso mais fui bem covarde na hora de exercer... a adolescência é dificil mesmo ,ainda mais quando se tem uma família religiosa em casa... o que posso te dizer é que chega uma hora que passa! Eu ja tive uma depre da pesada e também me escondia e fingia não ter nada, mais por dentro doia e minha vontade era tomar medidas drásticas... acho que daqui uns anos você não terá vergonha disso porque vai perceber o quanto era dificil pra ti mesmo!

    Qualquer coisa é só me chamar miga!!

    Beijos da Nati
    www.oxifalei.com.br
    Snap: nath.thamires

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus q me perdoe, mas tem momentos em q eu preferia ser órfã do q estar aqui com eles...
      Obrigada pela compreensão ♡

      Excluir
  2. :(
    Eu não sei muito o que te dizer. O que eu mais pensei nessa sua postagem, foi a minha situação, o quanto eu reclamo da mãe que tenho, o tanto que reclamo de mim mesma, achando que tenho a pior vida de todos os tempos, quando na verdade não, eu sou é muito sortuda, pois tem pessoas que tem a vida pior que a minha.
    Sobre você ter se mutilado, acho que te entendo. Nunca me automutilei, mas confesso que já quis.
    Olha, menina, a culpa não é sua. A culpa é dos seus pais, do destino. a culpa não é sua, não sinta mal.
    http://mallow-mars.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é o ponto pior da história, para algumas pessoas n posso reclamar pois "existe pessoas com situação pior q a minha"

      Excluir
  3. Depressão na adolescência é fo**, principalmente por isso que vc citou de parte das acharem que adolescente não motivo de ter depressão. Fico feliz q vc não se corte + e espero que vc melhore, embora ainda ache que ajuda profissional é o + indicado. Vi q vc disse q não tem como ir ao médico, então vou torcer para q vc consiga superar isso. E é bom q compartilhe isso, desabafar sempre faz bem.

    Beijos/Xoxo.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fan Page Coisitas e Coisinhas
    Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SM's é o único lugar em q eu sou aceita, em q há pessoas q me aceitam e tentam me entender, n consigo me ver sem esse lugar, se um dia eu perder isso aqui eu nem sei o q faria. É a "única" ajuda q tenho.

      Excluir
  4. Passaste mesmo por uma má altura :(
    Mas lembra-te sempre que tu és tu, e tens que ter é orgulho nisso! És linda de qualquer forma que seja, quer seja com essas cicatrizes à mostra, quer estejam bem escondidas debaixo de pesadas mangas de camisolas.
    Nunca te esqueças que pedir ajuda não é motivo de vergonha, mas sim de orgulho. Reconhecer que precisamos de ajuda é um motivo para nos orgulharmos, pois conseguimos ter noção de que estamos mal, o que significa que nos conhecemos bem e que só queremos o melhor para nós. Se não tens ninguém em casa que te possa ajudar, procura ajuda profissional, como um professor ou psicólogo. Eu já procurei ajuda, não pelos mesmos motivos que tu, mas foi a melhor coisa que já fiz na minha vida.
    Qualquer coisinha, passa lá no meu cantinho que eu vou estar sempre disponível para umas palavras amigas <3
    Beijinhos,
    An Aesthetic Alien | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela compreensão ♡
      O povo daqui são a minha única ajuda...

      Excluir
  5. Oi India, tudo bem?
    Sei exatamente tudo o que você sentiu. Eu também me sentia assim no comecinho da minha adolescência, confesso que sofri o mesmo problema com você, sim, já me cortei porque a dor que eu sentia no coração era pior do que a dos cortes. Então eu tentava substituir uma dor por outra. É horrivel, sim, mas isso tem uma saída, eu sou a prova viva disso. Sofria Bullying, me sentia sozinha, e os meus amigos eram virtuais. Foi o pior ano da minha vida. Mas aos poucos eu fui vendo que havia uma luz no fim do tunel, não sei se você acredita em Deus, mas garanto que ele foi a única solução que eu encontrei. Depois que eu voltei pra igreja, comecei a sentir uma paz interior dentro de mim, e no outro ano, eu jurei que eu não ficaria mais triste. Parei de me importar com a opinião dos outros, mudei de colégio e dei a meu máximo pra me enturmar com as outras pessoas. No primeiro ano de mudança não foi fácil, às vezes você vai achar que não vai ter solução. Deus me mostrou que existe sim, uma saída pra isso. Depois, tudo mudou e e hoje eu sou muito feliz.
    Espero que você fique bem, um beijo enorme!

    http://edepoisdesonhar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom encontrar pessoas q já passaram ou passam pelo mesmo q eu, e triste ao mesmo tempo.
      N consigo ser muito religiosa, sigo, acredito em Deus, mas n consigo e nem gosto se ficar em igrejas e etc

      Excluir
  6. Sério? Deu treta da última vez? Como assim :o :o
    Parece que só quem passa por isso consegue compreender e acredite, eu já passei por essa faze dificílima da minha vida. Foi durante o primeiro ano do ensino médio, em que a minha depressão estava mais grave, ao contrário de você, não cheguei a me auto-mutilar, mas pensava em formas de ''partir'' se é que me entende. Lembro que na escola, eu não conseguia olhar para as pessoas no corredor, queria sair de lá, vir pra casa, ficar longe delas mesmo. Tive uma gastrite por causa do nervosismo, então parei de comer e emagreci muito! Foi muito difícil, o pior é não ter ninguém para ouvir.
    A minha mãe deve ser bem parecida da sua, só que ela não é extremamente religiosa, pelo menos não desse jeito. Desde a minha infância, ela vem me desprezando, reclamando de tudo - mesmo! Esse tipo de coisa é terrível para a auto-estima, gerou uma grande falta de confiança em mim mesma, aí veio a ansiedade e a depressão. Foi um problema enorme, porque as pessoas não entendem, acham que é só um drama adolescente ridículo.
    E agora, como é que a gente enfrenta as coisas que virão? Emprego, faculdade... Quando a gente não se sente boa o suficiente é torturante demais! Eu me acho incapaz, parece que não vou conseguir fazer as coisas direito, porque isso foi dito pra mim a minha vida toda! A minha depressão melhorou um pouco daquele tempo pra cá, porque consegui manter a calma e acostumar a ideia de tudo que vou ter que fazer, mas ainda tenho medo, sabe?
    Que bom que você desabafou, é necessário quando não se tem mais ninguém para ouvir. Acredito que um dia tudo isso passe para nós, mas vai ser difícil. Fazer o que? Manter a calma e continuar respirando, apenas continuar viva. Te desejo melhoras <3

    { Barbie Pretty Sweet }

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse ponto de não se sentir seguro ou auto confiante para uma faculdade ou emprego descreve bem a minha situação. Juro por Deus, n faço ideia do q fazer da vida, tudo pq n me acho boa em nada, e tbm n gosto de nada

      Excluir
  7. As pessoas nunca entendem o que a gente passa. Acham que só queremos chamar a atenção. Depois quando acontece uma tragédia falam que não sabiam de nada. Eu passei por isso em 2012 e não foi fácil. Te entendo completamente. www.vivaessamoda.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz q esteja melhor, melhoras para nós.

      Excluir
  8. Sim, como já falei aqui anteriormente, também passo por muitos problemas talvez parecidos, e tente ter força de vontade pra fazer um futuro melhor acontecer. Pense nas coisas boas que poderão vir,. Acho que tô falando besteira, desculpa, mas não sei o que falar.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Sabe, eu fico feliz que você tenha decidido trazer seu desabafo aqui no blog, isso ´uma coisa importante, pois manter tudo trancado a sete chaves muitas vezes faz mal.
    A adolescência é sempre uma confusão, tudo parece virar de ponta cabeça, eu te entendo. Sabe, eu não passei por situações iguais as suas, não me mutilo, mas tive uma amiga que se automutilava, e eu tentava a todo custar ajudá-la. Ela enfrentou problemas relacionados à família e coisas parecidas, e lendo seu post eu me lembrei dela.
    Eu realmente desejo que seus problemas com sua mãe e sua família melhorem, melhorem no sentido do convívio se tornar mais agradável. E, sabe, não precisa se culpar, a culpa não é sua se existe esse conflito.
    A melhor coisa que existe são os nossos amigos, eles sempre irão nos ajudar e, mesmo quando não puderem, podem fazer qualquer coisa pela gente. Assim, como nós leitores tentaremos te ajudar quando preciso, viu?
    Desejo que tudo melhore por aí, e espero que eu não tenha dito nada que seja besta.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se preocupe, n disse nada de besta n.
      E obrigada pela compreensão

      Excluir
  10. É sempre bom falar e desabafar <3
    É uma situação triste, mas o importante é se superar e passar por cima dos problemas, espero que tudo melhore.

    Beijos

    Blog Lua Soares

    ResponderExcluir
  11. Great post!

    http://carinazz.blogspot.com.ee/

    ResponderExcluir
  12. Não conheço você pessoalmente, mas vejo que não é má pessoa, as pessoas que foram ou são más com você. Entendo um pouco do que está se passando ou do que se passou, é complicado, mas tenha forças em Deus, ele é o único que pode ajudar, Deus te abençoe e que te ajude, beijo.

    ResponderExcluir
  13. Cheguei agora ao teu blog e já estou chocada. Fico triste de saber que a tua mãe te vê assim nesse estado e não é capaz de te ajudar, em vez disso só te leva mais para o fundo. Tenho bastante pena e adorava saber de uma forma de te ajudar mas nunca passei por nada assim para saber como é estar na tua situação mas acredito que seja horrível. O que te posso dizer é que te apoies nas pessoas que realmente estão aí para ti e para este problema como essa tua amiga. Desejo-te muita força e coragem e espero que consigas passar por cima deste problema.
    Muitos beijinhos
    Já te estou a seguir para acompanhar toda a tua história.
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. seja bem vinda, volte sempre, e muito obrigada pela sua compreensão, atenção e tentativa de ajuda :3

      Excluir

LEIA ANTES DE COMENTAR!

• Críticas apenas se forem construtivas.
• Faça comentários SOBRE O POST e não spam com seus links logo abaixo!
• Comente o link do seu Blog, se gostar, irei seguir.
• Faça pedidos de Posts.
• Respondo Tags, fique a vontade para me indicar.
• Email para contato: maisa.rds.m@gmail.com ou maisa-rds@hotmail.com

Obrigada, e volte sempre (~*u*)~

Aviso

Todas as imagens/ilustrações usadas aqui no SM's, tendo sido editadas por mim ou não, são retiradas do Google, Tumblr, Pexels, WeHeratIt e Pinterest.
Se alguma for sua, e você quiser os devidos créditos, entre em contato.

Google+ Followers

Agregadores

GeraLinks - Agregador de links Uêba - Os Melhores Links
Piadas Idiotas - São idiotas mas o faz rir Tédio na Web!
Divulgar Blogs
Agregador de Links - Madruga Links